terça-feira, 15 de maio de 2012


Para refletir:

    Um homem de negócios americano, no ancoradouro de uma aldeia da costa mexicana, observou um pequeno barco de pesca que atracava naquele momento trazendo um único pescador. No barco, vários grandes atuns de barbatana amarela. O americano deu parabéns ao pescador pela qualidade dos peixes e lhe perguntou quanto tempo levara para pescá-los. Pouco tempo, respondeu o mexicano.
   Em seguida, o americano perguntou por que ele não permanecia no mar mais tempo, o que lhe teria permitido uma pesca mais abundante. O mexicano respondeu que tinha o bastante para atender as necessidades imediatas de sua família.
   O americano voltou à carga:
- Mas o que é que você faz com o resto de seu tempo?
   O mexicano respondeu:
- Durmo até tarde, pesco um pouco, brinco com meus filhos, tiro a sesta com minha mulher Maria, vou todas as noites à aldeia, bebo um pouco de vinho e toco violão com meus amigos. Levo uma vida cheia e ocupada, senhor.
   O americano assumiu um ar de pouco caso e disse:
- Eu sou formado em administração em Harvard e poderia ajudá-lo. Você deveria passar mais tempo pescando e, com o lucro, comprar um barco maior. Com a renda produzida pelo novo barco, poderia comprar vários outros. No fim, teria uma frota de barcos pesqueiros. Em vez de vender pescado, um intermediário venderia diretamente a uma indústria processadora e, no fim, poderia ter sua própria indústria. Poderia controlar o produto, o processamento e a distribuição. Precisaria deixar a pequena aldeia costeira de pescadores e mudar-se para a Cidade do México, em seguida para Los Angeles e, finalmente, para Nova York, de onde dirigiria sua empresa em expansão.
- Mas senhor, quanto tempo isso levaria? – perguntou o pescador.
- Quinze ou vinte anos – respondeu o americano.
- E depois, senhor?
   O americano riu e disse que essa seria a melhor parte.
- Quando chegar a ocasião certa, você poderá abrir o capital de sua empresa ao público e ficar muito rico. Ganharia milhões!
- Milhões, senhor, e depois?
- Depois – explicou o americano – “você se aposentaria. Mudaria para uma pequena aldeia costeira, onde dormiria até tarde, pescaria um pouco, brincaria com os netos, tiraria a sesta com a esposa, iria à aldeia todas as noites, onde poderia tomar vinho e tocar violão com os amigos.”

O tempo de Deus
Muitas vezes acreditamos estar desamparados por não conseguirmos o que desejamos de imediato. Isso nos leva a questionar se Deus realmente está presente. Esse questionamento ocorre, pois queremos tudo ao nosso tempo, isto é, no tempo do homem. Deixamos de considerar que Deus sabe o que é o melhor para todos nós, e que vai fazer no seu tempo. Às vezes julgamos algo ser correto, mas isso não está nos planos de Deus para nossa vida. Queremos agir com pressa, sem pensar nas conseqüências. Esquecemos que ao esperar pelo tempo certo, que é o tempo de Deus, aprendemos com Ele e confiamos, conseguimos enxergar detalhes antes não vistos. Levando em consideração um versículo da Bíblia, podemos nos assustar, onde diz “que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia”, nos prendemos ao primeiro detalhe, que pode levar mil anos para alcançarmos o que é de nosso desejo. Só que como o tempo de Deus é diferente, assim como pode haver uma grande demora para o aprendizado ocorrer, o mesmo pode acontecer num tempo menor. Deus decide isso, o tempo e o que de fato é o melhor para nós. Em alguns casos, desejamos uma benção, mas não estamos preparados para isso. Nós julgamos estar, mas Ele sabe a verdade. Deus nos prova, prepara e com o tempo vai moldando nosso ser para melhor servirmos e alcançar a grande vitória. Desse modo, esperando, agindo com paciência, amadureceremos e nos tornaremos pessoas diferentes, que confiam plenamente no Senhor.




"TUDO tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu." (Eclesiastes 3:1) 



terça-feira, 8 de maio de 2012


Ovelha gera ovelha?!

Certa vez ouvi um pastor dizer que ovelha devegerar ovelha, e que ele não precisava evangelizar, nem visitar irmãos doentes, feridos etc.. Muito menos ter trabalhos sociais, pois, afinal ele é o pastor e não ovelha. Com isso Omiti-se da responsabilidade do gerar ovelhas colocando-se como cabeça da igreja sendo superior ao rebanho, esta afirmação desse “tal pastor” preguiçoso, irreverente, sem amor pelas almas é extra bíblica. É importante saber que João cap. 10 Jesus estava falando de forma figurativa a respeito de si mesmo como pastor das ovelhas, nesta parábola os homens são adequadamente comparados a ovelhas, Ezequiel 34.31Vós, pois, ó ovelhas minhas, ovelhas do meu pasto; homens sois; porém eu sou o vosso Deus, diz o Senhor DEUS”.A igreja de Deus no mundo é um curral de ovelhas, no qual são reunidos os filhos de Deus que estavam dispersos por todas as partes Jo cap 11.52, no qual elas são unidas e incorporadas Ezequiel 34:14-15 “Em bons pastos as apascentarei, e nos altos montes de Israel será o seu aprisco; ali se deitarão num bom redil, e pastarão em pastos gordos nos montes de Israel. Eu mesmo apascentarei as minhas ovelhas, e eu as farei repousar, diz o Senhor DEUS”Cristo é o pastor de todos homens; no antigo testamento Ele seria um pastor Isaías 40.11; Ezequiel 34.23; 37.24; Zacarias 13.7. No novo testamento Ele é mencionado como o Grande Pastor Hb 13.20; O sumo Pastor 1 Pe 5.4; O Pastor e Bispo das nossas almas 1 Pe 2.25. Cristo é o cabeça da igreja e nosso verdadeiro líder e Pastor, Ele sim como nosso sumo pastor pode dizer que ovelha gera ovelha, pois todos nós somos ovelhas independente de sermos pastores, obreiros ou membros, nesse contexto os pastores são ovelhas e devem trabalhar evangelizar fazer a obra de Deus. Igreja de Cristo não dêem ouvidos a esses pastores falsos.